Segunda-Feira, 17 de Maio de 2010, 16h:51 A | A

“Sogna Catarì”

De repente penso no meu falecido pai, siciliano como o Fabio Porta. Se eu apresentasse a ele uma proposta como essa, teria me olhado, aberto um sorriso condescendente e irônico de quem conhece seu povo e teria me dito: “Sogna Catarì”
 
RECIFE – PE - Crise na Europa. A Grécia vai ao FMI e é obrigada a seguir a rígida e dolorosa receita de cortes na despesa pública e uma maior responsabilidade fiscal. Portugal e Espanha mesmo sem ainda apelarem ao FMI começaram a tomar duras medidas de contenção dos gastos públicos. A Itália, terceira economia da zona do euro, mesmo com um déficit público de 5,3 % do PIB, bem menor que os 9,4% de Portugal e 11,2%, vai ter que apertar o cinto e reduzir os gastos. Lembrando que a dívida pública italiana representa 108% do seu PIB (dados de 2009), altíssima. Enfim, os cortes vieram para ficar.
 
Participei da Reunião do Sistema Itália promovida pelo Embaixador Gherardo La Francesca no dia 14 de maio em São Paulo. Dessa vez o Embaixador prestigiou o sistema de representação dos italianos do Brasil. Na reunião anterior participamos apenas da plenária, nessa, nos foi dedicado o Módulo Consular. Lá estávamos nós, O Embaixador, os Cônsules, os seis Presidentes Comites, o CGIE representado por Claudio Pieroni e o nosso parlamentar eleito na América Latina, residente no Brasil, o Deputado Fabio Porta.  
 
O Embaixador La Francesca foi realista e sincero, nos falou sobre as dificuldades que precisam ser superadas para promover o Ano da Itália no Brasil que vai acontecer entre o segundo semestre de 2011e primeiro semestre de 2012, num período de cortes no orçamento do MAE. Será necessário muito empenho e criatividade para o sucesso deste nosso ano no Brasil. A Embaixada vem promovendo reuniões com empresas, mídia e personalidades tendo conseguido importantes adesões. Solicita o empenho de todos nesse esforço.
 
Dentre as manifestações dos representantes destaco as da Rita Blasioli. Fala sobre a pouca participação dos italianos e ítalo-brasileiros, afirma que nas diversas reuniões promovidas pelo Comites São Paulo a participação é de três, quatro, cinco pessoas. Inovou e foi sincera, embora ninguém goste muito de falar sobre isso, essa é a realidade em todos os Comites. Falou de sua satisfação pelos contatos que a Embaixada tem feito com a grande mídia, pois os grandes meios de comunicação saberão utilizar a linguagem apropriada para atingir o grande público.
 
Todos nós recebemos material sobre o que está sendo chamado Momento Itália/ Brasil 2011/2012 e nos foi dito que esse material estaria à disposição no site da Embaixada. Como o material estava em italiano, fiz minha breve e única manifestação. Disse que a maioria absoluta dos italianos do Brasil é de ítalo-brasileiros que não falam italiano. Que todos os Comites têm suas listas de e-mail e poderiam ajudar na divulgação, mas era necessário que o material fosse bilíngüe (português e italiano), dirigido a italianos, ítalo-brasileiros e brasileiros. O Embaixador garantiu que todo o material será bilíngüe.
 
Voltando ao Recife, ainda no avião, penso nos cortes. Me vem em mente a eleição do Obama. Nos EUA os candidatos podem dispor de financiamento público e privado. O candidato Obama pediu via internet, suporte financeiro para sua campanha e acabou arrecadando mais de 450 milhões de dólares, dispensando assim o financiamento público. O Brasil possui a maior comunidade itálica do mundo, 30 milhões de ítalo-descendentes, possui 300 mil ítalo-brasileiros com dupla cidadania e 500 mil aguardando regularização na fila da cidadania na rede consular italiana. Se eu tivesse certeza de participação pediria ao Deputado Fabio Porta para abrir uma conta para contribuições, que poderia se chamar “Task Force e Momento Itália/Brasil 2011/2012” e todos nós participaríamos da divulgação. Com um percentual relativamente pequeno de participação desses 30 milhões, poderíamos chegar facilmente aos 300 milhões de reais.
 
Acordei. De repente penso no meu falecido pai, siciliano como o Fabio Porta. Se eu apresentasse a ele uma proposta como essa, teria me olhado, aberto um sorriso condescendente e irônico de quem conhece seu povo e teria me dito: “Sogna Catarì”. Será que o Deputado Fabio Porta me diria isso também?

* Salvador Scalia é presidente do Comites do Recife

Postar um novo comentário

Captcha

Comentários

  • Comente esta notícia


Copyright © 2014 - SOMMO Editora Ltda - Fone/Fax (041) 3366-1469 - Caixa Postal: 4808 - CEP: 82960-981 - Curitiba/PR