Opinião

Quinta-Feira, 03 de Julho de 2014, 15h:56 A | A

Direitos à venda?

O Parlamento italiano aprovou definitivamente, no bojo de uma série de outras medidas de ajuste fiscal, a instituição de uma taxa de 300 euros, a ser cobrada de todo requerente (exceto menores de idade) do reconhecimento da cidadania italiana . O texto, originário do Senado e aprovado pela Câmara também sob "fiducia" (sem a possibilidade de emendas), não condiciona a aplicação desse recurso no âmbito dos próprios consulados que, até aqui, alegaram falta de estrutura para o atendimento de milhares de pedidos - uma situação que afeta, principalmente, o Brasil. A idéia, inicialmente aventada pelo deputado Fabio Porta, que chegou a propor emenda nesse sentido, fazia esse condicionamento e, por isso, contava com algum apoio das principais lideranças da comunidade ítalo-brasileira. Assim como ficou aprovada, entretanto, a taxa equivalente a quase mil reais por requerimento corre o risco de transformar-se apenas numa fonte de renda a mais para os cofres romanos. E - quem diria! - à custa da cobrança sobre um direito dos cidadãos, ou seja, de uma obrigação do Estado.

 

Postar um novo comentário

Captcha

Comentários (1)

  • Alexandro Veronesi | Segunda-Feira, 04 de Agosto de 2014, 11h56
    0
    0

    Vergonha! Nossos representantes não sabem direito o que fazem, deviam ter projetado melhor antes de apresentar uma propostas desta, eram tudo o que queriam para dificultar ainda mais a vida dos descendentes em busca de um direito trazido pelos nonnos da Itália. Isso e descriminação.



Copyright © 2014 - SOMMO Editora Ltda - Fone/Fax (041) 3366-1469 - Caixa Postal: 4808 - CEP: 82960-981 - Curitiba/PR